13 de fevereiro de 2016

Avalanche Tricolor: agora é Libertadores!

Por Milton Jung


Grêmio 0x2 São José
Gaúcho – Arena Grêmio


24690164130_42eea540ac_z
Luan é um dos destaques do elenco OTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA, no Flickr

Malas prontas. Bilhete na mão. Passaporte no bolso.

Nesse sábado, o Grêmio embarca para o México, primeira parada desta longa jornada até o topo da América. Caminhada das mais difíceis que já enfrentamos em todos estes últimos anos.

De um lado, adversários nas alturas e competitivos. Desde o ano passado, leio que fazemos parte do Grupo da Morte, o que deve ser motivo de preocupação e muita atenção, sem dúvida. Sem jamais esquecer, porém, de que consagrados como Imortal somente nós.

De outro, temos um grupo de jogadores jovens, alguns despontando como craques e outros com talento em formação. Muitos em busca da consagração. E todos sob a batuta de uma das maiores revelações do comando técnico do futebol brasileiro: Roger.

Como se não bastasse a manutenção do grupo que surpreendeu os adversários e críticos brasileiros no ano passado, ainda ganhamos adesões importantes, nesta temporada: Henrique Almeida, que estreou hoje, e Miller (ex-Bolaños), que começará em breve – o mais breve possível. Ambos chegam não apenas para reforçar o ataque. Vestirão a camisa tricolor para fortalecer a artilharia.

Se sentimos falta de alguma coisa nesta ascensão que se iniciou com a chegada de Roger, é daquele jogador que gostamos de chamar de matador, daquele tipo que está predestinado ao chute fatal, mesmo que a bola desvie no zagueiro, esbarre no travessão ou esteja diante de um goleiro considerado intransponível.

A partida do início da noite desta sexta-feira nos mostrou isso com clareza. Tivemos velocidade no passe e pressão sobre o adversário em parte do jogo. Boas oportunidades apareceram, especialmente no primeiro tempo. Chegamos muitas vezes na cara do gol. Faltou-nos, no entanto, o cara capaz de superar-se, mesmo quando os fatos em campo não conspiram a nosso favor.

Na Libertadores, não nos faltará.

Os matadores chegaram. O time está mais maduro do que na temporada passada. E Roger saberá como poucos tirar proveito da derrota desta noite para chamar a atenção da equipe de que se pretendemos conquistar a América temos de ser resilientes diante da adversidade e perseverantes na superação de nossos próprios limites.

Que venha a Libertadores!

12 de fevereiro de 2016

Daniel Matador - A pior apresentação do ano até agora

Grêmio 0 x 2 São José

"Concordo com Dom Quixote: meu repouso é a batalha."
Pablo Picasso

Caros

O maravilhoso "sorteio" da FGF, além de seu distinto calendário, fez com que o Grêmio tivesse que se virar para atender aos compromissos pelo ruralito. Mesmo que esteja disputando competições de maior monta, como a Sul-Minas-Rio e a Libertadores da América. Mas, afinal, a FGF não teria razões para facilitar a vida de seu único representante no principal torneio continental, não é mesmo?

Pois menos de 48 horas após ter vencido o Veranópolis fora de casa, lá estava o tricolor novamente para jogar pelo torneio local. E, pela primeira vez, na Arena, enfrentando agora o time do presidente da FGF (não o time do coração, logicamente). Este também foi o jogo que marcou o 100º jogo da Arena. O técnico Roger mandou a campo a equipe mais titular possível, a fim de dar ritmo de jogo aos atletas que defenderão nossas cores no primeiro compromisso pela Libertadores. Como Edinho já havia jogado a partida anterior, o técnico optou pela escalação do jovem Kaio, que fez boa apresentação em Veranópolis. Giuliano também foi poupado, ficando no banco e entrando Pedro Rocha para compor o restante da equipe titular. Outra novidade foi a presença de Henrique Almeida entre os reservas.

1º Tempo
Grêmio 0 x 1 São José

 O jogo começou com as equipes estudando-se. Até que, aos 11 minutos, Grohe fez uma defesa fantástica, mandando a escanteio uma bola que tinha o ângulo como destino. No minuto seguinte, foi a vez do goleiro do Zequinha fazer um milagre, após uma verdadeira blitz tricolor. E a partir daí o Grêmio começou a meter uma pressão violenta, empilhando chances e amassando o adversário. Em paralelo, o açougue foi aberto. O time do São José batia sem dó, sob a complacência do apitador.

Aos 27, após grande jogada de Pedro Rocha pela direita, Douglas serviu Maicon, que acabou chutando para defesa do arqueiro. Aos 30, Luan também perdeu mais uma boa chance. A partir daí, o ritmo gremista diminuiu. Aos 38, Luan foi lançado e ia driblando o goleiro para marcar, porém foi assinalado impedimento na jogada. Até que, nos acréscimos, Luan perdeu uma bola que gerou lançamento para a área e Heliardo, vice-artilheiro do campeonato, acabou tocando e encobrindo Grohe, em mais um jogo onde o time sai em desvantagem no placar.






1º Tempo
Grêmio 0 x 1 São José

O time voltou para o segundo tempo sem alterações. Mas a burocracia continuava. Aos 10 minutos, Pedro Rocha saiu para a entrada do estreante Henrique Almeida. Aos 18, Douglas saiu para a entrada de Lincoln. No minuto seguinte, boa jogada entre Luan e Henrique Almeida, porém novamente infrutífera. Aos 27, Luan mandou para dentro, mas o bandeirinha assinalou impedimento. Logo em seguida, Henrique Almeida quase marcou, mas o goleiro salvou. Aos 29, outra chance perdida após chute de Everton, que o goleiro espalmou e Luan não conseguiu marcar no rebote. Aos 35, Wallace Oliveira saiu para a entrada de Giuliano. Com esta alteração, Kaio foi deslocado para ocupar a lateral direita. Para coroar uma jornada infeliz, assim como no primeiro tempo, em um contragolpe quase no final do jogo, saía o segundo gol do São José, dando números finais ao jogo. No finalzinho, Lincoln fez uma grande jogada e bateu no canto, tirando tinta da trave. O que não adiantaria nada.




Como jogaram:

Grohe: fez uma grande defesa no primeiro tempo.Talvez pudesse ter saído no lance do gol. Nota 6
Wallace Oliveira: hoje foi muito mais comedido do que nas últimas partidas. Bem abaixo do necessário. Tanto que saiu para a entrada de Giuliano. Nota 3
Geromel: por incrível que pareça, falhou no gol do Zequinha ao final do primeiro tempo, o que não é usual. Hoje passou trabalho. Nota 6
Kadu: também falhou no gol do Zequinha, apesar de que fez uma jornada melhor do que as que vinha fazendo. O que não quer dizer muita coisa. Nota 4
Marcelo Oliveira: uma das piores partidas que já fez pelo Grêmio. Muito fraco, tanto no apoio quanto na defesa. Nota 3
Kaio: aparentava estar nervoso em sua estreia como titular na Arena. Seu desentrosamento com Maicon pode ter comprometido, mas não dá para jogar seu desempenho apenas nisso. Foi deslocado para a lateral direita quando Wallace Oliveira saiu para a entrada de Giuliano. Nota 4
Maicon: quando joga, o time é outro. Mas não fez liga com Kaio. No segundo tempo, sucumbiu junto com o resto do time. Nota 6
Douglas: parece que nem entrou em campo. Saiu para a entrada de Lincoln. Nota 2
Pedro Rocha: foi um dos melhores no primeiro tempo, mas não conseguiu ser efetivo. Tanto que saiu no início do segundo tempo para a entrada de Henrique Almeida. Nota 5
Everton: sumido em grande parte do jogo. Não conseguiu ter as vantagens pessoais sobre os marcadores que são sua característica. Nota 4
Luan: tentou muito, mas não foi efetivo. O que, para quem tem de fazer a diferença, é fatal. Nota 4

Henrique Almeida: entrou com vontade, mas nota-se claramente que carece de ritmo. Nota 5
Lincoln: fez bem mais do que Douglas vinha fazendo. É de outra turma e merece mais oportunidades, apesar da idade. Foi um dos raros que salvou-se da mediocridade do time. Nota 7
Giuliano: não conseguiu dar a contribuição que sua posição e qualidade devem. Nota 4

Roger: não conseguiu furar a retranca do São José e chegou inclusive a perder o duelo tático em alguns momentos. Mesmo as trocas não foram suficientes para alterar o quadro. A derrota de hoje também passa por ele. Nota

Arbitragem: o apitador da partida foi o conhecido e famigerado Leandro Vuaden. Deixou o pau comer solto. Apesar disso, o resultado não passou por ele.

Foi certamente a pior apresentação do Grêmio no ano, não obstante os desfalques. A quantidade de erros de passe, o que não é normal no time de Roger, foi grande durante o jogo todo. Alguns valores individuais ficaram muito abaixo do esperado. Kadu até agora não disse a que veio, justificando talvez uma chance a Fred ao lado de Geromel. Wallace Oliveira fez sua pior partida com a camisa tricolor até agora. Mas não dá para fazer terra arrasada. Assim como ocorreu em outras ocasiões, o técnico certamente irá rever o que saiu errado e corrigir para a estreia na Libertadores. Uma coisa é certa: se os atletas não derem seu máximo SEMPRE, teremos dificuldade.

Saudações Imortais

10 de fevereiro de 2016

Daniel Matador - Vitória para dar ritmo ao Banguzinho

Veranópolis 0 x 1 Grêmio

Caros

O Grêmio, ainda com sua torcida em êxtase pela chegada de Miller "The Killer" Bolaños, teve a chance de testar seu time reserva, mesclado com alguns potenciais titulares, nos gramados do interior. Mais especificamente, na Terra da Longevidade, a acolhedora Veranópolis, cujo time homônimo o tricolor enfrentou nesta quarta-feira à noite. O Estádio Antônio David Farina apresentava sua tradicional grama fofa e alta, uma tática utilizada há anos para tentar dificultar a vida dos adversários que não estão acostumados com ela. A torcida gremista, como já é de praxe, lotou o estádio. O interior gaúcho respira Grêmio.

Roger mandou a campo uma composição de reservas, porém Edinho e Giuliano podem ser considerados titulares. Edinho deve ocupar a vaga de Walace, que está contundido. E Giuliano entrou na partida para retomar o ritmo de jogo após um período de recuperação de lesão. O Veranópolis ainda não havia vencido na competição e encarou a partida como decisiva. Por conta do sistema do torneio e das agruras que as equipes do interior sofrem, é compreensível a aflição. O Grêmio vinha em situação oposta, na condição de líder do campeonato e com 100% de aproveitamento. Também estreava uma dupla de zaga a ser testada: o recém contratado Fred e Bressan, que inclusive já jogaram juntos no Juventude.

1º Tempo
Veranópolis 0 x 0 Grêmio

 Logo aos 2 minutos o goleiro do VEC soqueou no pavor uma bola alçada na área. E o jogo foi pegado desde o apito inicial. E aos 4 minutos o time interiorano já perdia Washington, substituído após uma jogada ríspida. Aos 11, grande jogada pela direita, levando pavor à defesa pentacolor. E, aos 12, Lúcio (sim, aquele mesmo lateral que jogou no Grêmio) também não aguentou o tirão e teve que ser substituído. Aos 21, após uma catada de borboleta do goleiro, Fernandinho cruzou para Bobô, que cabeceou pressionado pelo zagueiro, ganhando um escanteio. Aos 24, Grassi fez importante intervenção após cobrança de falta alçada na área.

Aos 28, Giuliano lançou Lincoln pela direita e o garoto deu um toquinho magistral com o lado de fora do pé esquerdo. A bola encobriu o goleiro que saía e, caprichosamente, bateu no travessão e saiu para fora. Aos 37, Giuliano roubou uma bola, cortou o marcador na altura da meia-lua e meteu um PATAÇO, porém a bola subiu muito e foi para fora. Aos 40, em mais uma jogada forte, Moisés lesionou-se e saiu para a entrada de Kaio. E não teve nada mais que merecesse nota nesta primeira etapa.




2º Tempo
Veranópolis 0 x 1 Grêmio

O jogo começou meio truncado, mas aos 6 minutos, Bobô, que não havia recebido nenhuma bola durante todo o jogo até então, foi pifado por Lincoln e chutou na saída do goleiro, abrindo o placar. O típico gol de centroavante. Aos 9, Fernandinho engatou uma quinta marcha e meteu um SAPATO que passou ao lado da trave esquerda do goleiro. Aos 15, Tontini entrou para a saída de Giuliano, visivelmente poupado para a Libertadores. Aos 22, Grassi saiu em falso em uma bola alçada, mas teve sorte pelo fato de que o jogador do VEC cabeceou para fora.

Aos 30, outra jogada perigosa na área do Grêmio, que conseguiu safar-se. Aos 32, Tontini e Bobô entravam área adentro e levaram grande perigo. Aos 38, Fernandinho saiu para a entrada de Batista. Aos 40, mais uma perigosa bola alçada na área tricolor, naquela que parecia ser a única jogada do VEC. Aos 46, Tontini e Lincoln meteram mais um pavor na zaga adversária. O time foi amorcegando o jogo até o final e carimbou mais uma vitória, mantendo os 100% de aproveitamento e a liderança do campeonato.





Como jogaram:

Bruno Grassi: é o primeiro na sucessão de Grohe. Um goleiro reserva de bom naipe. Descontando a falha (não fatal) que cometeu no segundo tempo, foi bem hoje. Nota 7
Wesley: fez uma jornada regular, mas não comprometeu. Nota 6
Fred: respondeu bem quando exigido. Rebateu várias bolas e antecipou-se em alguns lances. Se mantiver esta média, merece uma chance ao lado de Geromel. Nota 7
Bressan: fez boa dupla com Fred e não comprometeu. Nota 6
Marcelo Hermes: é um lateral que sabe de suas limitações e, justamente por isso, não enfeita. Possui bom poder de marcação, mas deixa a desejar no apoio. Nota 6
Edinho: recebeu até a braçadeira de capitão hoje. Fez certinho sua função de limpa-trilhos. Nota 6
Moisés: fazia um joguinho feijão com arroz até lesionar-se. Nota 5
Giuliano: seu desempenho, se não foi brilhante, ao menos serviu para mostrar que está recuperado da lesão que sofreu recentemente. Para preservar-se, saiu para a entrada de Tontini. Nota 6
Lincoln: um dos melhorem em campo, quase marcou um golaço. Pifou Bobô no gol que abriu o placar. Nota 8
Fernandinho: mostrou muito mais vontade do que seu normal. Tentou algumas arrancadas, deu chutes e bons passes. Em várias ocasiões, foi parado só na falta. Nota 6
Bobô: fez o que o centroavante tem de fazer. Recebeu uma bola durante todo o jogo e marcou o gol. 100% de aproveitamento. A vitória e os 3 pontos passam diretamente por ele. Nota 7

Kaio: entrou no final do primeiro tempo no lugar de Moisés. Pode-se dizer que fez bem mais do que seu antecessor. Nota 7
Tontini: entrou muito bem, fazendo várias jogadas, inversões e passes com qualidade. Merece ser mais observado. Nota 7
Batista: entrou no lugar de Fernandinho, mas muito ao final do jogo. Sem nota

Roger: fez o que grande parte da torcida pedia e botou time reserva para jogar o ruralito. Ainda assim, manteve os 100% de aproveitamento e a liderança. Nota 7

Arbitragem: o dublê de Vin Diesel, Jean Pierre de Lima, foi o apitador. Deixou o pau comer solto. Com ele em campo, o açougue foi aberto sem cerimônia.

Foi um jogo para dar ritmo aos reservas, considerando que temos uma longa temporada e o grupo deverá ser largamente utilizado. E também para ver a resposta de Giuliano após a lesão, bem como botar Edinho para jogar. E a grata surpresa foi ver Wesley, Tontini, Kaio e Batista, todos crias da Base, recebendo a chance de jogarem. Este trabalho tende a render excelentes frutos ao clube. Mesmo sem ter jogado nenhum jogo na Arena pelo ruralito, o Grêmio venceu todas as partidas. A contagem regressiva para a América já começou.

Saudações Imortais

9 de fevereiro de 2016

Isso é Bolaños











8 de fevereiro de 2016

Avalanche Tricolor: o Grêmio fez por merecer neste Carnaval

MILTONJUNG


Grêmio 1×0 CoritibaCopa Sul-Minas-RJ – Arena Grêmio


24882596125_f901d2c6cb_z
Geromel salva de cabeça foto LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA no Flickr
 Carnaval no Brasil já foi coisa séria. Antigamente, o país parava de sexta à quarta-feira de cinzas; o consumidor ainda não estava acostumado com a cultura dos shoppings, que nos ensinaram a fazer compras de domingo a domingo; e ai de quem se atrevesse a questionar se era ou não feriado oficial na terça-feira gorda. Claro que sim!

Nas festas de Momo ninguém se metia a jogar futebol, porque na avenida o Rei era outro. Mesmo no Rio Grande do Sul, onde Momo não tem lá essa fama e passei boa parte dos meus Carnavais, a bola deixava de rolar pela total ausência de torcedor. A turma toda se mandava para praia. Exceção para confirmar a regra: o Rio abria as portas do velho Maracanã e botava seus times mais tradicionais em campo de olho nos turistas que visitavam a cidade.

Hoje, por mais que a maioria ainda acredite que nada se faz nos quatro dias de Carnaval, as lojas funcionam aos domingos; o comércio de ruas populares abre às segundas-feiras, a espera do pessoal do interior; supermercados, mesmo desabastecidos, estão com os caixas à disposição; e jogador de futebol não tem mais folga no entrudo: o calendário gordo dos clubes os obriga a jogar em pleno domingo carnavalesco.

Foi assim que ontem, em meio a desfiles de blocos e escolas, no Brasil, e com uma cidade esvaziada pela migração temporária, em Porto Alegre, o Grêmio apareceu no gramado da Arena com time titular e tudo para disputar partida pela Copa Sul-Minas-RJ e foi recebido por cerca de 11 mil pessoas.

Ao menos quem estava lá teve o direito de ver o lance do único gol da partida. Para quem, como eu, assistiu ao jogo, pela TV, restou o replay, pois o diretor, responsável por escolher as imagens que seriam levadas ao ar, dormiu no ponto, assim como o zagueiro adversário ao tentar devolver a bola para o goleiro.

Ao vivo, a TV perdeu o lance do gol a 24 minutos do primeiro tempo. O que foi uma pena, pois até então nada de mais havia sido produzido pelo nosso ataque. Depois, a jogada foi repetida à exaustão destacando a pixotada do zagueiro. Foi descuidado, sem dúvida. Afoito, ao tomar a decisão do passe.

Quero, porém, ver a jogada por outro ângulo.

Dos muitos méritos de Roger no Grêmio está o sistema defensivo que montou. Longe de ser retranqueiro, amontoando zagueiros e volantes, o técnico sabe que apenas roubando a bola pode-se pensar em atacar. Impõe a participação de toda a equipe na marcação, que começa na saída de bola. Quem não está prestes a tomá-la, ou não tem habilidade para tal, encurta o espaço em campo e obriga o adversário a forçar o passe.

Na cobrança do tiro de meta, em vez de voltar para o meio de campo a espera do adversário, o Grêmio estava com seus jogadores mais avançados perto da linha da grande área. No momento em que o goleiro, em vez de repor a bola com um chutão para o alto, decidiu sair jogando com o zagueiro mais próximo, caiu na arapuca montada por Roger. Com Luan de um lado e Douglas de outro, o defensor se atrapalhou. Aproveitando-se do vacilo, Douglas ficou sozinho diante do goleiro e fez uso de sua categoria para, com o pé esquerdo, desviar a bola para o gol.

O Grêmio fez por merecer o gol!

Escrevi alguns parágrafos acima sobre os muitos méritos de Roger. Destaco outro: eliminar o chutão como alternativa de ataque. Sempre que retomam a bola, os jogadores se aproximam e formam triângulos e losangos em campo, segundo descrição do próprio técnico. Isso facilita o passe, faz a bola correr, deixa o marcador desorientado e permite que se chegue ao ataque com rapidez.

Ontem, como uma bateria que atravessa o samba na avenida, o Grêmio não conseguia manter a harmonia regida por seu técnico, por mais que ele tentasse, aos berros, acertar o ritmo. Preferiu a ligação direta ao passe preciso e desconcertante. Isso fez o time render bem abaixo do que está acostumado e o torcedor sofrer muito mais do que era necessário.

E se sofremos para vencer, fizemos por merecer!

Aliás, mais um pitaco deste escrevinhador na transmissão das partidas de futebol: com tantos microfones captando o som ambiente, sugiro que falem menos nas transmissões na TV e nos deixem ouvir as instruções enviadas pelos técnicos aos seus comandados. Teria sido excelente, se tivéssemos tido oportunidade de saber o que Roger tanto gritava com Everton, Wellington Oliveira e companhia. Principalmente porque ouvir Roger instruindo nos ajuda a entender melhor o futebol.

Como estou no clima de Carnaval, para encerrar esta Avalanche destaco mais um mérito gremista: Geromel. Ontem, novamente, foi precioso. Não bastasse exercer com eficiência o papel de zagueiro, senhor da área, ainda defendeu no gol e driblou no ataque quando necessário. Foi aplaudido e aclamado como melhor jogador em campo.

Geromel, fez por merecer!

7 de fevereiro de 2016

Em ritmo de carnaval

Grêmio 1 x 0 Coritiba

Primeiro Tempo:  1 x 0

Domingo de carnaval e jogo na Arena. O Imortal com os titulares do momento.
O jogo começou morno como se os jogadores estivessem se poupando para a noite.
Os coxinhas branca marcavam forte e ficavam mais atrás esperando para dar o bote.
E a primeira chance foi deles. Bola alçada na área e conclusão de primeira para fora. Eram 15 minutos. E o Grêmio abusava em passes errados.
O primeiro chute tricolor foi aos 20 minutos. Marcelo Oliveira recebeu uma inversão de lado do Douglas e bateu para fora. Na cobrança do tiro de meta o zagueiro recuou ridiculamente para o goleiro e deu um presentaço para Douglas enfiar nas redes. 1 x 0 imerecido pelo que o time não fazia.
O gol meio que acordou o Grêmio que começou a correr um pouco mais. Não muito.
Geromel perdeu o tempo da bola e deu um carrinho na coxinha branca levando amarelo aos 28 minutos.
No minuto seguinte um rápido ataque do Imortal mas foi desperdiçado por Luan.
O jogo estava tão com jeito de amistoso que Everton entrou área a dentro mas tentou enfeitar perdendo o segundo gol. Eram 33 minutos.
Sobre o gol, um twitter disse tudo:



Aos 35 minutos, Leandrin, aquele da carteira de motorista, deu uma bomba para boa defesa de Marcelo Grohe.
Pedro Rocha fez um lance bizarro aos 39 minutos. Dançou na frente do zagueiro e caiu de maduro.
Geromel salvou um gol feito após rebatida fraca de Grohe. A bola chutada alta estava entrando quando ele saltou e cabeceou para escanteio. Eram 45 minutos do primeiro tempo.
E o primeiro tempo acabou assim.

.....


Para um jogo em domingo de carnaval até que houve uma boa movimentação. Mas, como se podia prever, a concentração não foi a normal.
De melhor a atuação de Douglas. Parece que a chegada do Killer Bolaños o deixou com medo de perder o lugar no time. Interessado, além do gol de oportunismo acertou a maioria dos passes.

Segundo Tempo: 0 x 0

Faltou luz no intervalo e o jogo só reiniciou depois de 36 minutos. E com Fernandinho no lugar de Pedro Rocha.
E a primeira jogada de novo foi do time coxinha do Paraná. Cruzada na área que Kadu não pulou. Por sorte o jogador cabeceou para fora.
Aos 5 minutos Douglas deu uma sapatada de fora da área para o goleiro espalmar.
O jogo, talvez pela longa paralisação estava ainda mais morno.
Wallace Oliveira recebeu belo passe de Luan aos 13 minutos e chutou na rede pelo lado de fora. A melhor jogada seria a cruzada para o meio.
Aos 13 minutos Grohe fez bela defesa em chute da entrada da área.
Negueba deu uma de negueba e errou um gol feito aos 16 minutos. Chutou na rede pelo lado de fora.
O Grêmio finalmente fez um grande ataque aos 17:48 minutos. Luan deu para Douglas que driblou o zagueiro e mandou uma bomba para grande defesa do goleiro.
O jogo ficou aberto com chances dos dois lados. E depois de um bom ataque do tricolor, Grohe fez bela defesa em chute do Negueba.
Geromel deu uma rosca para escanteio aos 26 minutos.
O jogados do Coritiba tirou a coruja da quina do travessão com um chute aos 28 minutos. Grohe já estava batido.
O Coritiba teve um gol anulado em impedimento muito duvidoso aos 32 minutos.
Geromel se incomodou com a inércia do ataque e resolveu fazer um carnaval na ponta direita até levar uma cacetada e se esborrachar no chão.
Na sequência Edinho levou amarelo na primeira jogada que participou. Walace, machucado saiu para entrar Moisés.
Aos 37 minutos grande ataque do Imortal e quase Everton fez o dele. O goliro espalmou para escanteio.
Fernandinho também fez o goleiro trabalhar aos 38 minutos. Chutou forte para a rebatida dele.
O Coritiba perdeu mais uma boa chance aos 41 minutos.
Marcelo Oliveira salvou aos 44 minutos.
O jogo chegava ao final com o Grêmio se segurando como podia.

......

Para um jogo no domingo de carnaval não se esperava muita competição. Depois de um primeiro tempo morno o segundo foi duro com o Coritiba tomando conta do jogo após os 20 minutos. A pressão foi grande, mas mesmo assim o time ainda conseguia assustar em alguns ataques.
A torcida, eufórica com a contratação do Bolaños saiu satisfeita com o resultado mas não muito com a atuação.
_____

Como jogaram:

Marcelo Grohe: Uma boa defesa e uma saída frouxa no primeiro tempo. Boas defesas no segundo tempo. Nota: 7  
Wallace Oliveira: Como bom carioca se adaptou bem ao ritmo de treino do jogo. Sumiu no segundo tempo. 
Nota: 5
Pedro Geromel: Salvou um gol no primeiro tempo de forma espetacular. E no segundo até ensaiou um desfile pelo ataque. É um grande jogador. 
Nota: 8
Kadu: Não deu ainda para tirar a febre com mais segurança. Em duas falhas teve sorte.
 Nota: 
Marcelo Oliveira: Atuação discreta. Nota: 6 
Walace: Alguns lances enfeitados demais. Saiu machucado. Que não seja grave. Nota: 5 
Maicon: Outro que estava jogando molinho molinho. Perdeu bolas fáceis pela moleza. Nota: 4 
Pedro Rocha: Apesar de um lance bizarro não foi mal. Saiu no intervalo. 
Nota: 5 
Douglas: O melhor do time no primeiro tempo. Fez um gol de oportunismo. Continuou bem no segundo tempo. O melhor do time no jogo. Nota: 9 
Luan: Um primeiro tempo discreto. Melhorou no segundo tempo. 
Nota: 6
Everton: Não foi o mesmo das partidas anteriores mas de novo foi um dos melhores. 
Nota: 7
.....


Fernandinho (Pedro Rocha): Entrou bem de novoNota: 6
Edinho (Maicon): Entrou metendo o sarrafoNota: 5
Moisés (Walace): Entrou na hora do sufoco. E se virouNota: 6

Roger: Tem material humano para trabalhar. Agora é tudo com ele. Nota: 6
__________

Arbitragem:
 Heber Roberto Lopes - Em jogo amistoso ele pega leve. Foi até simpático com os jogadores do Grêmio. Já quando é campeonato sério, Jesus!

Daniel Matador - Domingo de Carnaval é na Arena

"O povo toma pileques de ilusão com futebol e carnaval. São estas as suas duas fontes de sonho."
Carlos Drummond de Andrade

Em 1984, Renato e De León convidavam os foliões para pular carnaval com os Campeões do Mundo.


Caros

Depois de mais uma acachapante vitória pelo ruralito, quando assumiu a liderança do campeonato, o Grêmio dá uma pausa no certame regional para disputar a segunda rodada do Torneio Sul-Minas-Rio, organizado pela Primeira Liga. Após ter deixado escapar uma vitória que estava nas mãos diante do Avaí, o tricolor vai jogar em seus domínios e pode também assumir a liderança de sua chave nesta competição. O adversário é o Coritiba, que pode vir sem sua estrela, o já conhecido e nada saudoso Kleber Gladiador, que teria alegado dores e pedido para ser poupado.

O técnico Roger mudou o planejamento inicial, que previa a utilização de titulares no ruralito e reservas na Primeira Liga. No jogo contra o Avaí já haviam sido utilizados os reservas. Mas diante do adversário deste domingo teremos o time titular novamente. Pessoalmente, penso ser interessante a utilização da formação principal contra um adversário mais complicado do que os times do interior gaúcho. Desta forma, podemos fortalecer mais o grupo para a Libertadores.

O técnico deve manter a mesma escalação que venceu as duas partidas pelo regional. Grohe no gol, com os dois Oliveiras, Wallace e Marcelo, ocupando as laterais. A dupla de zaga é repetida com Geromel e Kadu. Walace e o capitão Maicon formam a dupla de volantes. Douglas, Pedro Rocha, Everton e Luan completam o time do meio para a frente. Lincoln teve um mal súbito na sexta-feira, mas foi apenas um susto. Resta ver se não irá prejudicar sua escalação neste domingo, ao menos como opção no banco.


Se você não foi para alguma praia distante ou não curte Carnaval, faça seu dever neste domingo. Compareça à Arena para incentivar o time. O jogo inicia às 19h30min. Porque aqui o tricolor dita o ritmo e comanda a festa. Já em outros lugares, tem mais de mil palhaços no salão.

Saudações Imortais

**************

Atualização:

A imprensa internacional já postou durante a madrugada sobre a assinatura de Miller "The Killer" Bolaños com o Grêmio. Rui Costa havia dado um verdadeiro DESDOBRE na ivi durante a apresentação de Henrique Almeida, em uma interpretação digna do Oscar. Daí, sorrateiramente, o clube foi lá e PLAU, fez a mais retumbante contratação nacional deste início de ano, botando fogo nas redes sociais em plena madrugada.

5 de fevereiro de 2016

Chapeuzinhos (nos) vermelhos

Ainda nem foi possível tirar um chapéu e já tem outro na fila. Eles queriam e queriam muito o Henrique Almeida. Se "atrapalharam nos fluxos" e levaram um balãozinho histórico. Correram para anunciar que haviam desistido do jogador, quando souberam que ele já estava na Arena e depois dos representantes terem recusado polpuda comissão para darem o contra-chapéu. Tentativa frustrada.

Vida que segue? E como! Hoje, desenha-se novo chapéu. Vamos dizer chapeuzinho. Era uma vez uma grande promessa de 19 anos, chamada Ezequiel Gonzalo Esperon... Matéria falando das suas virtudes não faltam. Vejam abaixo um exemplo e leiam a íntegra clicando aqui.



O texto diz: O Inter já está em conversas para renovar o contrato do volante Ezequiel Gonzalo Esperon. O argentino de 19 anos chegou à base colorada em abril deste ano e, numa parceria de Inter com All Boys, ex-clube do jogador, ficaria até dezembro. A direção colorada, porém, trabalha para manter o jogador em Porto Alegre na próxima temporada. 
 — Estamos em processo de negociação — confirmou o diretor da base, Jorge Andrade.

 Para chegar até Ezequiel, o Inter utilizou o Centro de Análise e Prospecção de Atletas (Capa), uma espécie de grupo de olheiros colorados. O volante esteve nas conquistas dos títulos do torneio Fallerhof, na Alemanha, e do Campeonato Gaúcho Sub-20, ambos em julho deste ano. 

Inter faz 2 a 0 na Chapecoense e avança na Copa do Brasil sub-20

O estilo aguerrido do jogador, típico dos argentinos, é o que tem chamado a atenção do Inter. Executa bem tanto as funções de primeiro quanto às de segundo volante, mas destaca-se na marcação. 

— Ele "envenena", estimula muito a equipe durante as partidas. É um típico jogador sanguíneo, que atua nas duas funções — disse o coordenador da base, Luís Fernando Ortiz.

Como não poderia deixar de ser, já houve quem corresse para anunciar que ele foi "dispensado" por eles. Nada disso, faltou acerto financeiro, moneda, como se lê aqui neste post, quando ainda havia certa neutralidade na notícia. Certo, precisam guardar para pagar o que falta aos que se vão por não aceitarem mais trabalhar sem receber.

Hoje, por uma travessura do sistema, descobriu-se que na rescisão publicada no BID de 14/12/2015, o atleta é mostrado... com a camisa do Grêmio.


Sinal de que o jogador tem contrato com o Grêmio em trâmite correndo na CBF, dizem alguns. Outros juram que o atleta treina em Eldorado há muitos dias. Tudo em silêncio. Tudo sem vazar. Senhores, há semanas, como esta, que nunca deveriam terminar.

Rui Chapeleiro



13 de nov de 2015
Exclusiva com aposta argentina do Inter para 2016 Saiba mais




4 de fevereiro de 2016

Daniel Matador - Outra virada de três

Grêmio 3 x 1 Aimoré

Caros

O tricolor iniciou o ruralito com uma indiscutível vitória sobre o teoricamente mais forte time do interior, o Brasil de Pelotas, jogando fora de casa. E por conta de mais uma patacoada da gloriosa Federação Gaúcha de Futebol, o jogo de hoje, que deveria ser realizado na Arena, teve de ser jogado no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, por conta de uma punição muito discutível. Coisa do "Charmoso Gauchão". Pra ajudar, um temporal desabou sobre a região durante quase todo o dia e o horário não poderia ser pior: 19h30min, em um estádio quase à beira da BR116.

O técnico Roger optou por iniciar o jogo com a mesma formação que sobrepujou técnica e taticamente o Xavante na primeira rodada. Maicon fica desta forma posicionado na função onde rende mais e Pedro Rocha atua de forma a dar mais consistência no ataque. Setor este que foi responsável pela marcação dos três gols da última partida, com o próprio Pedro Rocha, Luan e Everton. Todos sabem que o campeonato regional é necessário para dar ritmo ao time titular para a principal competição do ano, a Taça Libertadores. E assim está sendo feito. E Henrique Almeida, o novo contratado do clube, assistiu o jogo no estádio.

Henrique Almeida já chegou mostrando o placar do último Gre-nal na Arena.
 Primeiro Tempo
Grêmio 1 x 1 Aimoré

O time gremista meteu pressão logo nos primeiros minutos. Tanto que obrigava o Aimoré a jogar por várias vezes com o goleiro. O que atrapalhava a conclusão das jogadas era a insistência com as bolas longas. Aos 13 minutos, uma série de 3 escanteios cobrados por Douglas. Aos 16, Everton soltou um PATAÇO que bateu na trave. Aos 22, novamente Everton fez um sassarico e botou a defesa do Aimoré pra dançar. Mas, na continuidade do lance, Pedro Rocha rateou e perdeu a bola, gerando um contra-ataque que proporcionou o gol do Aimoré, que abriu o placar. Aos 30, Walace tentou um chute de fora da área, mas sem sucesso. Já falei várias vezes aqui: ou ele aprende a chutar, ou para de tentar, porque nunca o vi acertar nenhum chute de média ou longa distância em gol.

Aos 32, Pedro Rocha tocou na feição para Luan, que perdeu o gol de frente para o goleiro. Aos 34, foi a vez de Douglas assistir Pedro Rocha, que chutou cruzado para fora. A blitz gremista continuou no minuto seguinte, com Pedro Rocha novamente perdendo o gol. Mas, logo em seguida, Everton recebeu uma assistência com MERENGUE de Pedro Rocha e, diferentemente de Luan e Pedro Rocha, fez o que o atacante tem de fazer nesses casos: driblou o goleiro e meteu a bola para a rede, empatando a partida. A partir daí, só deu Grêmio, que passou a dominar amplamente todas as jogadas. Aos 44, Wallace Oliveira fez um cruzamento primoroso para Pedro Rocha, que pegou de primeira, mas chutou para fora. Aos 45, Luan recebeu de Walace e avançou área adentro pela esquerda de ataque, mas não conseguiu dar continuidade na jogada. E o árbitro encerrou a primeira etapa com o empate em um gol para cada lado.





Segundo Tempo
Grêmio 2 x 0 Aimoré

Logo nos primeiros minutos do segundo tempo, Luan levou um TESOURAÇO criminoso por trás. Walace também levou uma entrada forte logo em seguida. Aos 6 minutos, Everton também foi atingido. Em suma, na volta do intervalo, o Aimoré literalmente ABRIU O AÇOUGUE! O árbitro distribuiu alguns cartões amarelos para tentar coibir a violência. Aos 11, jogada trabalhada pelo Grêmio e excelente cruzamento de Wallace Oliveira, porém não resultante em gol. Até que, aos 14, Everton recebeu pela esquerda e cruzou para Luan, que teve apenas o trabalho de desviar para virar o placar. No minuto seguinte, Douglas saiu para a entrada de Lincoln.

Aos 16, o Aimoré, em uma das raras chegadas ao ataque, desferiu um chute de longa distância que Grohe defendeu sem soltar. Aos 19, Lincoln pegou uma bola quase saindo na linha de fundo e mesmo assim conseguiu dar um forte chute, o qual foi defendido pelo arqueiro capilé. Aos 20, primeira grande falha da arbitragem, ao marcar impedimento inexistente de Pedro Rocha em lance que poderia proporcionar o terceiro gol. Neste momento, começava a cair o famoso CALDO e a chuva não deu trégua. Aos 25, Lincoln bateu falta com grande perigo e o goleiro salvou. Aos 28, Pedro Rocha saiu para a entrada de Fernandinho, que mal entrou e já soltou um SAPATO que o goleiro do Aimoré defendeu meio no susto. Aos 34, Wallace Oliveira fez um lançamento de longa distância para Fernandinho, que avançou feito um foguete pela direita, deslocou o goleiro e marcou o terceiro. Aos 35, Luan saiu para a entrada de Bobô. Aos 39, uma cobrança de falta do Aimoré veio com veneno, foi desviada pela zaga e bateu no travessão, saindo para escanteio. O árbitro deu 3 minutos de acréscimos, onde um lance de ataque do Grêmio com Everton e Bobô foi invalidado. Porém, nada de mais relevante ocorreu e o tricolor vencia mais uma.




Como jogaram:

Grohe: sem culpa no gol. Preciso nas demais intervenções. Nota 7

Wallace Oliveira: parece que finalmente acharam no mercado um lateral que sabe cruzar. Tente a contribuir ainda mais conforme for entrosando-se com o time. Nota 7

Geromel: a segurança e elegância de sempre, mesmo jogando abaixo de chuva. Nota 7

Kadu: deu uma melhorada em relação à partida anterior. Nota 6

Marcelo Oliveira: foi bem, inclusive dando um pouco mais de apoio ao ataque, o que não é sua principal característica. Nota 6

Walace: quando faz o feijão com arroz, é excelente jogador. Quando tenta firular, não dá certo. Tem que ficar uma horinha a mais depois do treino só para treinar chutes de fora da área. Nota 6

Maicon: é o esteio do meio de campo. Deu uma assistência açucarada para o gol de Everton. Nota 7

Douglas: destoou do restante do time. Tanto que saiu no início do segundo tempo para a entrada de Lincoln. Nota 3

Pedro Rocha: perdeu a bola que originou o contra-ataque responsável pelo gol do Aimoré. Deu uma boa assistência para Luan. Perdeu 3 chances claras de gol só na primeira etapa. Saiu para a entrada de Fernandinho. Nota 4

Everton: o mais operante do ataque, e talvez do time todo, durante o primeiro tempo. Fez um belo gol para empatar o jogo antes do intervalo e ainda deu assistência para o gol da virada na segunda etapa. Nota 9

Luan: não apareceu muito na primeira etapa, deixando-se envolver pela marcação. Mas voltou melhor no segundo tempo, inclusive marcando o gol de empate. Nota 8

Lincoln: entrou com vontade. Merece ganhar mais chances. Nota 6
Fernandinho: mal entrou e deu um chute a gol. Não marcava desde o histórico Gre-nal dos 5 x 0 e tirou o atraso hoje ao assinalar o terceiro gol. Nota 7
Bobô: entrou no fim e teve pouco tempo para fazer algo. Sem nota

Roger: assim como na primeira rodada, deu uma injeção de ânimo e tática no time durante o intervalo. O resultado de hoje também passa diretamente por ele. Nota 8

Arbitragem: o apitador Daniel Nobre Bins, auxiliado por Élio Nepomuceno Júnior e Luiz Reis, não comprometeu. Distribuiu alguns cartões para coibir a violência do Aimoré. Com exceção de um impedimento mal marcado, o trio não atrapalhou muito.

Com este resultado, o Grêmio assume a liderança do ruralito, para tristeza do mandatário da FGF e seu clube do coração. Os jogos, ao menos até o momento, têm servido bem para seu objetivo principal, que é o de dar ritmo de jogo e competição para o time titular que disputará a Libertadores. Os charcos do pampa serão a preparação para os campos da América.

Saudações Imortais